Em Passos e Versos estreia com teatro lotado

O espetáculo de dança “Em Passos e Versos”, da Cia de Dança IFPR Schubert, foi apresentado no último domingo (25) com casa cheia. Foram mostradas as coreografias preparadas ao longo do ano das turmas de dança do ventre, forró e flamenco inspiradas em poesias de Alice Ruiz, Helena Kolody, Florbela Espanca e Cecéu. “Eu viro puro orgulho do trabalho realizado, resultado de um ano inteiro de preparação. Vejo as mulheres se tornarem estrelas, deusas do ventre no palco… elas chegam carbono e terminam o ano diamantes!”, parafraseia Claudia Lobato a poesia de Helena Kolody.
Além das poesias, o tema do espetáculo foram as flores, que dançaram coloridas em suas hastes. “A emoção estava à flor da pele, poeticamente falando, pois cada aluno entregou à plateia um vaso de torênia como recordação dessa memorável noite”, explica Milene Ribeiro.
A Cia de Dança conta a colaboração de professores voluntários dos ritmos, que ressaltam a dedicação e a superação dos desafios dos alunos. “Saibam que vê-los dançando no palco, sob as luzes cenográficas, caracterizados com o figurino, mostrando ao público o resultado de um ano intenso de aulas e ensaios, de uma maneira tão graciosa e transmitindo a alegria contagiante do forró é minha maior gratificação enquanto professor”, confidencia Solano Ribeiro.
“O momento é de júbilo e gratidão. Gostaria de expressar meus profundos agradecimentos aos grandes protagonistas desse espetáculo: ao público fiel, às responsáveis pela Fundação Cultural D. Vera Lúcia Borges e Tatiana Biaca; ao secretário municipal de Meio Ambiente Matheus Batista; aos fotógrafos Carlos Rodrigues e Thiago Casoni; à equipe de filmagem da WZ; às costureiras Lene, D. Rosa, D. Iraci e D. Sudária; ao estilista Zailton; à atriz Marli Knap; ao técnico de som João Gabriel, da RUP FM 107,7; ao iluminador Amador Rodrigues; ao professor de forró Marcelo Pereira; à Divino Sabor; às decoradoras Val Silva, Jéssica Ortiz e Alessandra Pedrangelo; e principalmente aos professores, ensaiadores e coreógrafos voluntários do projeto: Dalva Pontim, lara Mariane Milene Ribeiro, Solano Ribeiro, Claudia Lobato, Silvana Zandonadi, Márcia Mestrier e Tatiane Bortolucci”, finaliza Máriam Trier.
O show será reapresentado no dia 16 de dezembro na praça Arthur Thomaz, na programação natalina da Prefeitura Municipal.

Fotos:

Poesias selecionadas para o espetáculo:

“tem os que passam

e tudo se passa

com passos já passados

tem os que partem

da pedra ao vidro

deixam tudo partido

e tem, ainda bem,

os que deixam

a vaga impressão
de ter ficado”
Alice Ruiz

“lembra o tempo

que você sentia

e sentir

era a forma mais sábia

de saber
e você nem sabia?”
Alice Ruiz

“Depois que um corpo

Comporta

Outro corpo

Nenhum coração
Suporta o pouco”
Alice Ruiz

“A festa que se afasta

Vem de outra

Que se aproxima

Lusco fusco

Vai e vem

Da festa
Que nunca termina”
Alice Ruiz

“Vai chorar, canta

Vai falar, grita

Vai andar, dança”
Alice Ruiz

“Borboletas no palco

Tiraram essa noite
Para dançar”
Alice Ruiz

“O avião

Apenas vai

Quem voa sou eu”

Alice Ruiz

TEU CORPO SEJA BRASA

“teu corpo seja brasa

e o meu a casa

que se consome no fogo

um incêndio basta

pra consumar esse jogo

uma fogueira chega

pra eu brincar de novo.”

Alice Ruiz

PENSO E PASSO

“Quando penso que uma palavra

Pode mudar tudo

Não fico mudo

Mudo

Quando penso que um passo

Descobre o mundo

Não paro o passo

Passo

E assim que passo e mudo

Um novo mundo nasce

Na palavra que penso.”

Alice Ruiz

JARDIM DE HAIJIN

“à sombra de outra

pequena árvore cresce

para onde o sol nasce”

Alice Ruiz

GESTOS

“Há gestos de dizer

e gestos de calar,

de pedir, de sofrer,

de ferir, de salvar.

Gestos densos e fechados como esferas,

gestos leves, radiantes como a luz.

Ondas que nascem, morrem e renascem

ao influxo poderoso das marés.”

Helena Kolody

CISTERNA

“Nem o bailado leve das avencas

Consola a água prisioneira.”

Helena Kolody

GESTAÇÃO

“Do longo sono secreto

Na entranha escura da terra,

O carbono acorda diamante.”

Helena Kolody

VERSOS DE ORGULHO

“Meus êxtases, meus sonhos,

meus cansaços…

São os teus braços dentro dos

meus braços,

Via Láctea fechando o Infinito.”

Florbela Espanca

DESABAFO

“Ser um ser humano

Sem tabu, sem preconceito

Ser errado, ser direito

Acreditar e não ter fé.”

Cecéu