Pauta para Dia Mundial do Meio Ambiente – 05 de junho

No Dia Mundial do Meio Ambiente (05) as estudantes de Mestrado em Sustentabilidade do IFPR/UEM, Creir da Silva e Isabela Massambani, divulgam trabalho científico ambiental sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) para os países do Mercosul que será apresentado no “7º International Workshop on Advances in Cleaner Production”. O propósito do trabalho foi verificar se as metas para 2030 dos ODS estão sendo cumpridas e serão atingidas pelos doze países em questão.
O estudo averiguou que dos dezessete ODS sete são metas ambientais que influenciam diretamente na qualidade de vida da população urbana e rural.
Com relação à “Água potável e saneamento”, apenas Argentina, Bolívia, Chile e Uruguai conseguiram atingir as metas. Os demais países do Mercosul ainda não alcançaram os objetivos.
No que se refere à “Energia limpa e acessível”, o Brasil, Suriname e Uruguai tiveram os melhores resultados.
Pelo estudo, observou-se que nenhum país do Mercosul se aproximou do objetivo ideal no item “Cidades e comunidades sustentáveis”, o que significa que ainda há muito o que prosperar em mobilidade urbana, ciclovias, áreas verdes, fundos de vale, economia local, produção orgânica, resíduos sólidos, entre outros.
Da mesma forma, quanto à “Consumo responsável” os países estão longe de atingir as metas, sendo que Guiana, Paraguai e Uruguai são os países com maior dificuldade para o atendimento do que seria ideal sobre desperdício de alimentos, reúso de água, redução de matéria-prima, logística reversa etc.
A Colômbia se destacou no que concerne à “Combate às mudanças climáticas”. Neste quesito, a Bolívia e o Chile apresentaram resultados abaixo da média e os demais países estão com indicadores medianos, tendo que diminuir os lançamentos de gases como gás carbônico e metano, os chamados gases de efeito estufa.
Nos últimos dois ODS ambientais, “Vida debaixo da água” e “Vida sobre a terra”, todos os países do Mercosul necessitam aumentar suas metas, em especial, a Bolívia, o Brasil, o Chile, a Colômbia, o Peru, o Uruguai e a Venezuela. Serão indispensáveis esforços para preservação ambientais de ecossistemas, pesca sustentável, implantação de corredores verdes e diminuição de queimadas, por exemplo.
Com o estudo, Creir concluiu que “os fatores ambientais dependem da solução dos principais problemas socioeconômicos enfrentados pelos países estudados, como crescimento econômico, trabalho infantil, protagonização feminina, mortalidade no trânsito, homicídios, percepção de corrupção, e outros”.
Para Isabela fica evidente a importância do monitoramento e do acompanhamento das metas anualmente. “As políticas públicas dos países do Mercosul devem se concentrar nos pontos mais críticos e fortalecer os aspectos já atendidos”, acrescenta.
O estudo completo será apresentado no dias 21 e 22 de junho em Barraquilla, na Colômbia.