Casa de Vegetação

Em 2017, o IFPR Campus Umuarama adquiriu uma casa de vegetação com o intuito de reforçar a pesquisa e a extensão nas áreas de Botânica e Ecologia. O espaço será utilizado principalmente para produção de mudas para recuperação de áreas degradadas.

PROJETO DESENVOLVIDO NA CASA DE VEGETAÇÃO DO IFPR CAMPUS UMUARAMA

Título da Ação de Extensão: Efeito de diferentes substratos na produção de mudas de plantas nativas da Mata Atlântica para posterior reflorestamento da mata ciliar do rio Piava.

Resumo da ação: A cidade de Umuarama, situada no noroeste do Paraná, apresenta diversos problemas de abastecimento de água para a população nos períodos de chuvas intensas. Ocorre que o Rio Piava, responsável pelo abastecimento da cidade, encontra-se assoreado em diversas partes, devido a diversos fatores, dentre eles a ausência da vegetação necessária na composição da mata ciliar. Visando minimizar o problema, estudantes da Licenciatura em Ciências Biológicas do IFPR, iniciam experimentos visando determinar qual o melhor tipo de substrato para a produção de mudas de plantas florestais nativas da Mata Atlântica que serão utilizadas para a recuperação das áreas degradadas encontradas na zona ripária do rio Piava.
O trabalho se iniciou com a coleta de sementes de Ipê Rosa (Tabebuia pentaphylla) na cidade utilizando-se 7 plantas matrizes.
As sementes foram selecionadas agrupadas por planta matriz no Laboratório Multidisciplinar do Campus, onde também caracterizadas quanto ao diâmetro e quanto à massa fresca e massa seca de mil sementes.
Em seguida, ocorreu a semeadura do Ipê Rosa em bandejas plásticas, em substrato de areia + vermiculita, na proporção 1:1, que foram instaladas na casa de vegetação do Campus com temperatura controlada de 24 oC e irrigação programada de 12 em 12 horas por 1,5 min. Foram utilizadas 50 sementes de cada planta matriz.
Durante 21 dias, as sementes foram observadas quanto à velocidade de germinação e vigor. Aos 14 e 21 dias após a semeadura (DAS), 5 plântulas de cada árvore matriz foram caracterizadas quanto: comprimento da raiz, comprimento da parte aérea, número de folíolos, massa fresca e massa seca da raiz e da parte aérea. Aos 21 DAS, as mudas produzidas foram repicadas em tubetes de 115 mm3, divididas nos seguintes substratos: terra de subsolo (TS), composto produzido no Campus a partir de esterco bovino (CO), terra da horta (TH), mistura de CO + areia + vermiculita na proporção (2:1:1). A irrigação foi programada 3 vezes ao dia (9, 15 e 21h) com tempo de 1,5 min.

Aos 30, 60 e 90 dias após a repicagem, as mudas serão avaliadas quanto ao diâmetro de coleto, número de folhas, altura das plantas, massa seca da raiz e da parte aérea e a relação da matéria seca da raiz/matéria seca da parte aérea. Também serão determinadas a massa fresca e seca da raiz e da parte aérea. O delineamento experimental usado foi o inteiramente casualizado, com quatro tratamentos e quatro repetições, sendo que cada parcela será composta por cinco mudas. Os dados experimentais serão, inicialmente, submetidos a testes de normalidade e homogeneidade de variância. As médias dos diferentes tratamentos serão comparadas entre si pelo critério estatístico de Scott & Knott, a 5% de probabilidade.
Após o teste do substrato, uma grande quantidade de mudas de Ipê Rosa será produzida.
Outras sementes florestais nativas serão coletadas para que os testes sejam repetidos e para que se inicie a produção de mudas em grande escala para serem utilizadas na recuperação da mata ciliar do Rio Piava.

Estudantes da Licenciatura em Ciências Biológicas envolvidos no Projeto:

Renan Felipe de Souza (Bolsista Fundação Araucária – Edital 17/2016 PIBEX)
Jonathan dos Santos Mantovani (Bolsista Fundação Araucária – Edital 17/2016 PIBEX)
Mariane Peczek Martins (Bolsista Fundação Araucária – Edital 06/2017 PIBIT FA)
Débora Tainá da Silva de Lima de Macedo (Bolsista Fundação Araucária – Edital 06/2017 PIBIT FA)
Bruna Sabino de Souza (Bolsista Prefeitura Municipal de Umuarama)
Fernanda Cristina Bérgamo (Bolsista Prefeitura Municipal de Umuarama)

Coordenadora: Norma Barbado
Vice-coordenadora: Patrícia Pereira Gomes