Estudantes de curso técnico divulgam estudo sobre Pegada Ecológica

Os estudantes do curso técnico em Química integrado ao ensino médio do IFPR campus Umuarama, divulgaram neste Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado em 5 de junho, o estudo realizado sobre Pegada Ecológica da população de Umuarama. O questionário, adaptado pelo INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), foi aplicado à população por faixas etárias no centro de Umuarama perto do Dia Mundial da Terra, instituído em 22 de abril.
Os estudantes perguntaram às pessoas sobre seus hábitos alimentares, ambientais e de consumo e logo após a entrevista foi entregue um marcador de página com dicas sustentáveis. Com as respostas obtidas, os estudantes calcularam a Pegada Ecológica de uma amostra de 383 pessoas, com 5% de erro amostral e confiabilidade de 95%. O resultado obtido para a média amostral foi de 49 pontos, o que significa uma “pegada” moderada, ou seja, que o estilo de vida da população está um pouco acima da capacidade natural de regeneração de recursos pelo planeta, de modo que seu padrão de consumo demanda moderadamente mais do que a Terra pode repor. Para essa “pegada” o INPE sugere, por exemplo, fazer os percursos curtos do dia a dia a pé ou de bicicleta e utilize o carro somente para percursos longos. “Além disso, também podemos consumir mais produtos de origem orgânica, ou de feiras, separar os resíduos recicláveis de não recicláveis, levar pilhas, baterias, lâmpadas e eletrônicos aos postos de coleta, gastar menos água e energia e consumir menos produtos com açúcar refinado”, comenta a coordenadora da pesquisa, professora Máriam Trierveiler Pereira. Com relação aos resultados por faixa etária, verificou-se que as pessoas até 34 anos têm uma “pegada” maior do que as pessoas maiores de 35 anos.

Pegada Ecológica

O termo “pegada ecológica” foi criado pelos cientistas canadenses Mathis Wackernagel e William Rees em 1990 e hoje é internacionalmente reconhecido como uma das formas de medir a utilização, pelo homem, dos recursos naturais do planeta. Esse indicador dá uma ideia de como um indivíduo utiliza os recursos naturais, conforme seus hábitos de consumo e estilos de vida. Esse uso de recursos deve ser compatível com a capacidade natural do planeta em regenerá-los. No entanto, dados recentes do INPE mostram que estamos consumindo, em média, 50% a mais do que a capacidade de reposição do planeta. Isso significa que precisamos de um planeta e meio para manter nossos padrões de vida atuais.

Marcadores